Você não pode ter fibromialgia! O QUE VOCÊ SABERÁ?

“Olha que linda e jovem, olha que linda ela está, olha como ela sobe a montanha, olha como ela pratica esportes” … Impossível que ela tenha fibromialgia!

O QUE VOCÊ SABERÁ?
O que você vai saber sobre meu dia a dia, o que você vai saber sobre minha luta mental diária, o que você sabe sobre meus pensamentos e o que me incentiva a sorrir todos os dias?

Um dia, depois de meses e anos andando entre médicos especialistas e tantos testes clínicos, eles te dizem que você tem  FIBROMIALGIA  – O quê !? Que diabo é isso?

Mas o reumatologista tem apenas 10 minutos para “ouvir” você, “explicar” você e RECEBER SEU MEDICAMENTO. Então o mais simples para que você não tenha dúvidas é que é uma doença para a qual eles ainda não têm explicação, não sabem o que causa aquelas dores nos músculos, nos tendões, na cabeça, nas mãos, na cintura, insônia, desespero por não saber se você se senta ou se deita … Mas que diferença faz !? descanse, tome esses antidepressivos (que não são para depressão, porque você não tem, são uma dose mínima que vai te ajudar a relaxar e dormir melhor).

Com essa resposta você sai da consulta, com mais dúvidas sobre a sua existência do que qualquer outra coisa, você senta do lado de fora do hospital e as lágrimas caem sozinhas.
Para quem você esta ligando? O que você está fazendo agora? Qual é o próximo passo?
Você pega o telefone e pensa naquela pessoa que você conhece vai estar sempre do outro lado da linha, você chora sem poder falar porque sua respiração não te dá e você repete sem parar:
-Eu não tenho cura, eles não sabem o que eu tenho, a dor vai viver comigo para sempre, então qual é o sentido de tudo que projetei na minha vida?

Aquela pessoa faz o que está ao seu alcance, avisa que tudo vai melhorar, que não vamos desistir e vamos continuar procurando até obtermos uma resposta.

Você tenta se enganar que vai ser assim, mas só ressoam em seus pensamentos as palavras daquele doutor: “não tem cura”.
Você lê e lê na internet e só encontra gente querendo morrer, deprimida porque a vida delas se degenerou com o passar dos anos, você com 25 anos vê sua vida refletida nessas pessoas, que vai chegar aos 50 e nada vai fazer sentido Você decide se resignar e simplesmente aceitar que a dor faz parte de você.

Você negligencia a sua saúde em geral porque quando você se cansa de lutar contra a fibromialgia, você pensa que tudo que acontece com você é por causa dela.

É uma patologia que você vive na solidão e no silêncio, porque a quem você comenta que suas mãos queimam de repente ou que de um momento para outro sua pele queima como se você fosse uma insolação sem explicação aparente?
Que você pegue hobbies como esfregar as mãos, se tocar o tempo todo para ver se há dor, se dar pequenos golpes naquela área que dói porque aparentemente alivia por um momento; ou coçar a cabeça até sangrar, porque a coceira é imparável.

Bem, a tudo isso, que é o que geralmente acontece com as pessoas que se sentem identificadas com os mesmos sintomas, acrescente a isso ser jovem, ter menos de 30 anos e ouvir que por ser jovem ainda pode fazer certas atividades, mas espere até chegar aos 50 e sua vida irá para o inferno.

Pois é, isso aconteceu comigo, meu nome é Diana Guerrero e hoje com 33 anos, considero que continuo na luta diária para melhorar a dor, quase 8 anos com diagnóstico de fibromialgia e continuo buscando respostas, continuo analisando meu sangue e faço exames que descartam outras doenças que podem explicar minhas dores musculares e articulares.

Minha cabeça não para. Ele nunca para de pensar. Tenho até que me levantar para escrever algo que me ocorre antes de dormir, porque sei que não vou me lembrar no dia seguinte.
E sem falar em como durmo. Tenho que montar uma nuvem de travesseiros para sustentar cada membro do meu corpo para que não esfreguem diretamente no colchão, porque só esfregar dói. Meu pescoço fica dormindo apenas de costas, mas minha parte inferior das costas sofre nessa posição, então todos os dias eu tenho que escolher o que sacrificar, se eu durmo de lado para descansar minhas costas ou minhas costas para descansar meu pescoço.
Mas cuidado! porque se durmo de lado, tenho que usar um travesseiro no meio das pernas ou o calor do meu próprio corpo, me queima e não me deixa adormecer.

Foi quando conheci uma nova versão de mim; porque sempre fui uma mulher sem medo, mas agora tenho medo de ir para a cama porque não sei o que meu corpo vai sentir até eu dormir … Ou se, ao contrário, lutarei com meu corpo até ver o sol nascer pela janela.

Aprendi sobre muitas doenças que nunca tinha ouvido falar, são tantos os sintomas que uma palavra como  bruxismo  se torna comum ao saber que se chama assim quando eu cerro minha mandíbula com tanta força que desgasta meus dentes, que um dente me quebra comendo um biscoito então Eu estava fraco, precisava de um aparelho chamado tala que protege meus dentes e mesmo assim consegui um deles.

Hoje, aprendi a aceitar este diagnóstico, não o quero e espero que um dia possa dizer que se enganaram e tenho outra coisa que posso tratar, mas enquanto moro com ela estou aprendendo com ela, aprendo comigo mesmo, mas acima de tudo eu Sinto-me grato porque a cada dia aprendo mais a conhecer meu corpo, minha mente, minhas reações, minhas mudanças físicas e mentais, cada respiração agora significa alguma coisa, cada esforço agora tem um significado concreto.

Meus cuidados físicos mudaram de ser para ego, para estética e para eles me verem bonita, para ser para meu próprio bem-estar. Para me sentir bem comigo mesma e para que meu sorriso no espelho seja mais sincero do que nunca. Funcionou? sim! Tenho uma qualidade de vida muito melhor do que há 5 anos. Mas devo continuar, isso é só o começo e sei que agora posso ir para a cama com menos medo do que antes e sei que um dia esse medo também vai acabar por completo.

Agora eu só quero ficar positivo, continuar caminhando apegado a todas as melhorias que consegui com minhas mudanças nos hábitos alimentares e físicos. O esporte se tornou essencial e saber o que é bom para o meu corpo já é uma obrigação.

Enquanto isso, quero pedir para não julgar pela idade, pelo rosto, pelo sorriso ou pelo corpo. Só cada um de nós sabe o que sente e se me atrevo a dizer-lhe que é possível, é porque o verifiquei e que assim como renasci aos 33 anos, conheço muitos que têm menos e muitos mais anos do que eu, que também Eles conseguiram.

Vou continuar a contribuir com o meu granito de divulgação, neste meio e através dos meus vídeos, que é o que mais adoro porque se continuasse a escrever seria eterno.
Vou continuar … Agora meu medo não é ter contenção para falar de fibromialgia, mas de FIBROMIALGIA EM POSITIVO – Porque a gente ousa viver com o Fibro!

13 thoughts on “Você não pode ter fibromialgia! O QUE VOCÊ SABERÁ?

  1. Excellent post. I was checking constantly this blog and
    I am impressed! Very helpful info specially the last
    part 🙂 I care for such information much. I was looking for
    this particular information for a very long time.
    Thank you and good luck.

  2. I am not sure where you are getting your information, but great topic.

    I needs to spend some time learning more or understanding more.
    Thanks for excellent info I was looking for this information for my
    mission.

  3. Hello! I know this is kinda off topic but I was wondering if you knew where I could get a captcha plugin for my
    comment form? I’m using the same blog platform as
    yours and I’m having problems finding one? Thanks a lot!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *