Congresso denuncia o estigma social da fibromialgia em seu Dia Mundial e pede mais pesquisas

A Câmara do Congresso

A Câmara do Congresso – Pool-

O Congresso dos Deputados pediu o fim do “estigma social” que atualmente sofre os pacientes com fibromialgia ou síndrome da fadiga crônica, doença que comemora seu Dia Mundial na quarta-feira. Além disso, exige o avanço e o fortalecimento da pesquisa nesta matéria

Em nota institucional lida em Plenário pelo terceiro secretário da Mesa, o deputado púrpura Javier Sánchez, a Câmara aderiu à celebração do Dia Mundial da Fibromialgia e manifestou o desejo de que a “investigação, formação e sensibilização social ”sobre esta doença que atinge cronicamente as pessoas que a padecem.

O texto também apela a um trabalho de “normalização” dessa patologia e denuncia o “mal-entendido” e a “discriminação” sofrido pelos portadores dessa enfermidade motivados, segundo o Congresso, pelo “desconhecimento” das pessoas sobre a própria patologia. Nesse sentido, a Câmara destaca o “preconceito de gênero” da fibromialgia que atinge principalmente as mulheres, para a qual muitos pacientes sofrem “dupla discriminação”: por ser afetado e ser mulher e porque os homens lhes atribuem uma doença de mulheres,

“O Congresso apela à empatia do povo e dos poderes públicos”, diz o comunicado institucional, que lembra que 3% dos espanhóis sofrem com a doença.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *