Alimentação para fibromialgia

A dieta desempenha um papel importante no controle dos sintomas da fibromialgia. Portanto, é necessário fazer ajustes na dieta dos pacientes com essa doença.

Alimentação para fibromialgia

O papel que a dieta desempenha na fibromialgia continua a ser objeto de pesquisa. Na verdade, a própria doença ainda está cheia de incógnitas. Sua fisiopatologia não é conhecida ao certo e tampouco seu tratamento. No entanto,  sabe-se que existem certos hábitos a nível alimentar que podem facilitar o seu manejo.

Fazer uma alimentação saudável, com alimentos que contenham antioxidantes e substâncias com capacidade antiinflamatória, contribui para a redução das dores crônicas e do estado de fadiga. Por isso, é fundamental dar atenção especial aos hábitos alimentares e de vida desse tipo de paciente.

Qual deve ser a dieta para fibromialgia? Desta vez  , queremos compartilhar alguns dos ajustes positivos que podem ser feitos na dieta de pessoas com essa doença.  A maioria deles é endossada pela comunidade científica e pode contribuir para a melhora dos sintomas.

Alimentos para fibromialgia: melatonina

A melatonina é o hormônio responsável por regular os ciclos do sono. Está positivamente relacionado à qualidade do descanso. Além disso, também é usado para mitigar os níveis de estresse.

Em estudos recentes, como o publicado no  International Journal of Molecular Sciences,   descobriu-se que grandes doses dessa substância, em torno de 15 mg, são capazes de reduzir a dor crônica e a fadiga em pacientes com fibromialgia. 

Por esse motivo, o uso de suplemento de melatonina começa a ser recomendado em muitos pacientes com fibromialgia. Basta lembrar que essa substância não deve ser misturada com antidepressivos, devido às possíveis interações entre eles.

Alimentos para fibromialgia: melatonina 
Estudos recentes encontraram uma relação positiva entre a suplementação de melatonina e uma melhora nos sintomas da fibromialgia.

Alimentos antiinflamatórios para reduzir a dor na fibromialgia

Os sintomas de fibromialgia são frequentemente caracterizados por um aumento da inflamação sistêmica, manifestada como dor crônica. Para amenizar essa situação,  recomenda-se a prática de exercícios físicos regulares. 

Além disso, no que diz respeito à dieta, é altamente recomendável introduzir regularmente alimentos antiinflamatórios. São os que contêm ácidos ômega 3 em sua composição, conforme estudo publicado na revista  Biochemical Society Transactions.

Para atender às necessidades desse micronutriente,  é aconselhável aumentar a ingestão de peixes oleosos, nozes e óleos vegetais crus.

Da mesma forma, é necessário reduzir o consumo desses produtos processados, com açúcares simples, ácidos graxos  trans  e ômega 6. Essa classe de nutrientes tem capacidades inflamatórias, que podem ser contraproducentes em pacientes com fibromialgia.

Elimine álcool e refrigerante

Tanto o álcool quanto os refrigerantes são produtos muito comuns na dieta, que não trazem nenhum benefício. Ao contrário,  conseguem piorar os marcadores relacionados à saúde metabólica.

Eles também são capazes de aumentar o estado de inflamação sistêmica. Isso, em particular, é prejudicial para aqueles indivíduos que sofrem de uma doença de natureza inflamatória e crônica.

Por isso, é necessário eliminá-los da dieta alimentar. Pacientes com fibromialgia tendem a ser sensíveis a esses tipos de alimentos, mesmo em pequenas quantidades.  Além disso, o álcool produz um certo grau de desidratação.

Em pessoas com essa condição, é conveniente manter o equilíbrio hídrico sob controle, por meio da ingestão regular de água doce e não de outros tipos de produtos industriais.

Alcoolismo
Pessoas com fibromialgia devem evitar completamente as bebidas alcoólicas. Seu consumo pode levar a uma piora dos sintomas.

Alimentação para fibromialgia: ajustes são necessários

A fibromialgia ainda é uma patologia sem cura. Em qualquer caso,  é possível um melhor controle e gestão por meio de hábitos de vida saudáveis.  Tanto o exercício físico regular quanto o repouso são dois elementos básicos para reduzir os sintomas da doença. Além disso, permitem aumentar a funcionalidade do paciente.

Para obter um sono mais repousante, suplementar com melatonina pode ser útil. No entanto, as doses usuais são insuficientes neste tipo de situação. A literatura científica orienta o uso de 15 mg para o tratamento dessa patologia.

Além disso, você precisa fazer várias mudanças na dieta. Seu objetivo é reduzir o estado de inflamação sistêmica.  Para isso, é conveniente incluir na dieta produtos com ácidos graxos ômega 3. Por outro lado, é fundamental reduzir a contribuição de gorduras  trans,  açúcares e produtos processados.

Por fim, é necessário mencionar a importância da eliminação do álcool e dos refrigerantes da dieta das pessoas que sofrem de fibromialgia. O primeiro promove um estado de inflamação e desidratação.

No caso dos refrigerantes,  seus adoçantes e aditivos podem gerar alterações negativas na microbiota intestinal,  que acabam agravando o estado inflamatório desse tipo de paciente.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *