A HIPERACTIVIDADE SIMPÁTICA DE UM DOENTE FIBROMIÁLGICO

A hiperactividade simpática (está ligada à vontade) é uma das principais características dos Doentes Fibromiálgicos. Algumas das muitas frases comuns que são ouvidas por parte destes doentes são:

“Eu nunca consegui estar parada”; “Eu sempre fui muito activa”; “Eu fazia tudo sozinha em casa depois de um dia de trabalho”;
“Eu sempre liderava todas as tarefas e nunca me cansava”… Etc… Etc… Etc…

Pois bem… Estas pessoas destruiram grande parte das células vivas (por excesso de funcionalidade) quer aquelas que fazem parte dos neurotransmissores, quer do Sistema Nervoso Central, provado por diversas investigações já assinaladas.

Depois disso acontecer e estando dependente da carga genética de cada doente, é revelada e despoletada a patologia, dependendo de doente para doente no que diz respeito à carga anterior exagerada utilizada e respectiva quantidade de destruição celular provocada.

É nessa medida que os Doentes Fibromiálgicos conseguem trabalhar, funcionar, “viver” sob o efeito de Dor generalizada, na medida em que nenhuma outra pessoa sem esta característica seria capaz de consegui-lo!

Daí o aparecimento do descrédito!

A Hiperactividade é de muito difícil controlo, daí ser também quase incontrolável fazer parar um Doente Fibromiálgico. Tenta, insiste até quase cair ou cair mesmo! Só a exaustão o faz parar, mas mesmo assim sem conseguir aceitar essa paragem forçada!…

Um Doente Fibromiálgico tem muita dificuldade em aceitar que é doente e que já não pode fazer tudo aquilo que sempre fez outrora…

Daí, a dificuldade das outras pessoas saudáveis e não hiperactivas em entender estes Doentes. Porque a maioria dessas pessoas quando se cansa, SABE parar, algo que não é comum num Doente Fibromiálgico, quer antes de ser detectada a doença, quer depois o que origina forte irritabilidade e consequências desastrosas a nível psíquico e emocional.

Estes Doentes são os ÚNICOS doentes crónicos que reagem desta forma perante toda a sintomatologia que caracteriza a Fibromialgia. Todos os outros sofrem, queixam-se e sabem parar!

Um doente Fibromiálgico quer, faz tudo de uma vez para nunca o ir fazendo, mesmo debaixo de uma forte incapacidade que o impede de funcionar normalmente. Insiste em sempre tentar ser a pessoa que sempre fora…

A não aceitação da doença fá-lo cair e as dores aumentam, porque a tal destruição celular vai sendo aumentada de acordo com a insistência num trabalho sem haver capacidade para o mesmo! Cria-se assim, um ciclo vicioso que leva o Doente a perder a sua vontade de viver… Porque não consegue controlar-se!

Por não conseguir manter a sua insistente pretensão de continuar a ser quem sempre fora!…

Por que razão uma simples folha de papel pesa nas mãos de um doente Fibromiálgico, que outra qualquer pessoa nem a sente?

Precisamente porque um Doente Fibromiálgico tem de funcionar para qualquer tarefa com uma redução elevada das células que fazem parte dos neurotransmissores que levam a respectiva ordem ao cérebro.

Ou seja, o que quase não custa a uma pessoa normal, que leva cada ordem ao cérebro de uma forma real, num Doente Fibromialgico essa ordem chega com uma elevada deficiência no que diz respeito a cada esforço realizado.

Assim e depois de ser entendido o atrás exposto, seria muito importante que os Doentes Fibromiálgicos entendessem que tudo o que lhes está à frente para ser feito, não será o que o seu corpo estará em condições de realizá-lo!

Há que saber reduzir!

Há que saber parar se for caso disso!

Ou seja, para uma melhoria da qualidade de vida de cada Doente (o mal já foi feito e a patologia declarada), terá que haver um esforço tanto maior quanto o seu estado de desenvolvimento da sua incapacidade.

Todo o seu modo de estar perante tudo e todos os que o rodeiam terá que ser alterado!

Toda a sua forma de estar na vida terá que ser alterada!

A sua própria personalidade terá que ser alterada!

Só assim poderão ser tratados e devidamente reconhecidos pelos outros como doentes que são! Sem esconder o que sentem!
Revelando, sem qualquer tipo de acanhamento, todas as dores sentidas no seu corpo! Não fazendo o que sabem que não podem! Repousar sempre que o seu corpo exija, deixando para trás tudo o que possa parecer declaradamente imprescindível!

Mesmo estando outros elementos familiares doentes, as tarefas deverão ser distribuídas e facilitadas, nunca chamando para si próprio toda a responsabilidade de tudo o que aparentemente só a si diz respeito!

Nunca esqueçam:

Os Doentes Fibromiálgicos têm braços, têm pernas mas não podem usá-los como o fizeram outrora. Caminham e actuam como se os seus próprios membros fossem artificiais… Mas resistem… Continuam!…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *